Urgência e Emergência

LEI Nº14.621 QUE INSTITUI A OBRIGATORIEDADE DO DESFIBRILADOR EXTERNO AUTOMÁTICO (DEA).

LEI MUNICIPAL Nº 14.621, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2007
Diário Oficial da Cidade; São Paulo, SP, 12 dez. 2007. P. 1 – (Projeto de Lei nº 18/06, do Executivo)
Altera o art. 1º da Lei nº 13.945, de 7 de janeiro de 2005.

GILBERTO KASSAB, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas
por lei, faz saber que a Câmara Municipal, nos termos do disposto no inciso I do
artigo 84 do seu Regimento Interno, decretou e eu promulgo a seguinte lei:

Art. 1º. O art. 1º da Lei nº 13.945, de 7 de janeiro de 2005, que dispõe
sobre a obrigatoriedade da manutenção de aparelho desfibrilador externo automático
em locais que designa e que tenham concentração/circulação média diária de 1.500
(mil e quinhentas) ou mais pessoas, passa a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 1º. Os aeroportos, shopping centers, centros empresariais, estádios de futebol,
hotéis, hipermercados e supermercados, casas de espetáculos e locais de trabalho com
concentração acima de 1.000 (mil) pessoas ou circulação média diária de 3.000 (três mil)
ou mais pessoas, os clubes e academias com mais de 1.000 (mil) sócios, as instituições financeiras
e de ensino com concentração ou circulação média diária de 1.500 (mil e quinhentas) ou mais pessoas,
ficam obrigados a manter, em suas dependências, aparelho desfibrilador externo automático.

§ 1º. Com a finalidade de estabelecer os parâmetros de conduta a serem seguidos na utilização
do desfibrilador externo automático, a capacitação deverá ser promovida por meio de curso
ministrado de acordo com as recomendações do Conselho Nacional de Ressuscitação.

§ 2º. Os estabelecimentos e órgãos públicos abrangidos pelo disposto no “caput”
deste artigo deverão promover a capacitação de todos os integrantes da Comissão
Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, de todo o efetivo da Brigada de Incêndio e da
Brigada de Emergência, além de mais dois funcionários por turno, por aparelho.

§ 3º. Os estabelecimentos que contarem com serviço médico em suas dependências deverão manter
responsável técnico médico presente durante todo o período de funcionamento.” (NR)

Art. 2º. Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 11 de dezembro de 2007, 454º da fundação de São Paulo.
GILBERTO KASSAB, PREFEITO
Publicada na Secretaria do Governo Municipal, em 11 de dezembro de 2007.
CLOVIS DE BARROS CARVALHO, Secretário do Governo Municipal

%d blogueiros gostam disto: